Governo dos EUA patrocina projeto cultural em São Tomé e Príncipe

Jun 19 • Cultura, STP • 844 Views • Sem comentários em Governo dos EUA patrocina projeto cultural em São Tomé e Príncipe

O governo norte-americano, através do seu Departamento de Estado, está a desenvolver um projeto inclusivo sobre artes a favor das pessoas talentosas que vivem nas comunidades agrícolas, declarou, segunda-feira, Edgar Arcenaux, artista americano escolhido para levar a cabo este empreendimento no arquipélago santomense.

“A ideia é criar um espírito criativo em cada individuo por forma a que se possa fazer algo em beneficio da comunidade”, disse Edgar Arcenaux por ocasião do lançamento do projeto financiado pelo governo americano na Casa das Artes, Culturas e Utopias (CACAU).

Na presença de dezenas de artistas nacionais e estrangeiros, ele sublinhou que existem pessoas com talento e que infelizmente desconhecem o seu potencial artístico.

O artista plástico americano tem por missão resgatar valores e a criatividade das pessoas que vivem no mundo rural deste arquipélago lusófono, considerado rico em património cultural por já ter sido um entreposto de escravos no século XIV.

Ele garante que a melhor maneira de motivar as pessoas é dar-lhes incentivos certos para um determinado projeto que elas queiram realizar.

“Trabalhamos com as famílias por forma a redesenhar as suas casas, pintar ou recuperar algumas coisas históricas das comunidades”, afirmou o artista.

Por sua vez, Nelson Campos, diretor da Cultura de São Tomé, congratulou-se com o finalidade do projeto americano que, do seu ponto de vista, tem como finalidade o progresso social tendo em conta o fenómeno do êxodo rural que se verifica no arquipélago santomense.

Presente neste encontro, o embaixador itinerante da cultura santomense, João Carlos Silva, parabolizou o Governo americano pela ideia.

Ele sublinhou a necessidade das ações do projeto serem a curto, médio e longo prazos por forma a que, disse, haja continuidade quando as autoridades americanas se retirarem.

São Tomé e Príncipe é o primeiro país a beneficiar do projeto desta natureza, implementado pela primeira vez em Los Angeles, nos Estados Unidos, entre 1996 e 2012, e cujo autor é Arcenaux.

Africa21/panapress

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »