São Tomé e Príncipe: Banco Mundial altera cooperação com pequenos Estados

Set 18 • Economia, STP • 662 Views • Sem comentários em São Tomé e Príncipe: Banco Mundial altera cooperação com pequenos Estados

O Banco Mundial poderá suavizar, num futuro próximo, as regras de concessão de empréstimos a países como São Tomé e Príncipe, em particular, para serem investidos no sector das infraestruturas físicas.

O anúncio foi feito pelo administrador daquela instituição financeira, durante o seminário sobre «Diversificação Económica e Crescimento: Experiências comparativas de Pequenos Estados» realizado em São Tomé e Príncipe.

«Entre as novas iniciativas em discussão no grupo do Banco Mundial, inclui-se a criação de um fundo para a preparação de projectos, assim como de uma facilidade global de infra-estruturas destinada a participar na constituição de capital de sociedades público-privadas», acrescentou Agapito Mendes Dias.

Além disso, está em curso a análise com vista à revisão das regras de elegibilidade de países de baixo rendimento aos recursos concessionais do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento, que serão menos dependentes do tradicional indicador PIB per capita.

Por sua vez, o FMI também levou a cabo uma análise da política dos limites das dívidas dos programas apoiados pelo Fundo, com vista a abandonar os limites dos endividamentos não concessionais, sem pôr de parte a vulnerabilidade da dívida dos países.

Uma missão do FMI está em São Tomé e Príncipe, para mais uma revisão no quadro do programa de assistência que tem concedido ao país.

O evento organizado pelo Governo santomense e o Banco Mundial contou com a participação do ex-Primeiro-ministro e do ministro das Finanças de Barbados, Owen Arthur, bem como do ministro das Finanças das Ilhas Seychelles, Pierre Laporte. As duas personalidades partilharam as experiências dos seus países no processo de desenvolvimento com parlamentares, governantes e representantes do sector privado.

Um dos conselhos que deixaram, que os santomenses têm consciência da sua necessidade, é chegar ao consenso sobre uma agenda de desenvolvimento nacional suprapartidário, que ultrapassasse as diferenças políticas que existem em todos os países.

As discussões permitiram recolher subsídios que poderão ajudar São Tomé e Príncipe a preparar terreno para beneficiar dos novos instrumentos e regras de concessão de empréstimos do grupo do Banco Mundial, assim que estes estiverem disponíveis.

A reunião que decorreu recentemente em forma de Troca de experiências Sul-Sul (TESS) centrou-se em tópicos de interesse para o desenvolvimento do país, nomeadamente experiências comparativas de promoção, diversificação e crescimento em pequenos Estados; o papel dos serviços, e em particular do turismo, serviços financeiros e a aplicação das tecnologias de informação e de comunicação (TIC), nichos de agricultura e pesca e governação económica num pequeno país produtor de petróleo.

luandadigital.com

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »