Grupo privado amplia e moderniza pista do aeroporto do Príncipe

Out 28 • Home menu • 378 Views • Sem comentários em Grupo privado amplia e moderniza pista do aeroporto do Príncipe

É uma aposta forte nas potencialidades da ilha. A modernização e a extensão da pista do único aeroporto da região autónoma do Príncipe, para cerca de 1750 metros vai permitir uma ligação mais acentuada da ilha à sub-região africana. Por outro lado, vai fomentar ainda mais o interesse pelo turismo, que é aliás o principal foco do grupo HBD do milionário sul africano Mark Shuttleworth e a empresa que opera os aviões da África Connexion do empresário holandês Rowmbont Swarbont que concretizaram o projeto.

No ato de reinauguração da pista, o líder do governo regional chama atenção para a sua importância estratégica.

«Será provavelmente o instrumento mais poderoso de promoção da coesão nacional. Estamos em melhores condições hoje, mais do que ontem para continuarmos a trabalhar e consolidar o sucesso do caminho que escolhemos em prol de um Príncipe esperto, empenhado, confiante e solidário no contexto arquipelágico nacional de que fazemos parte», assume o presidente do governo regional do Príncipe José Cardoso Cassandra

Se a coesão nacional pode ser impulsionada pela possibilidade de uma ligação aérea mais fluente e frequente entres as duas ilhas, a internacionalização da região também poderá ser dado adquirido. Isto mesmo reconhece o chefe de estado são-tomense, Manuel Pinto da Costa.

«A pista agora substancialmente ampliada e com pavimento de boa qualidade corrige em boa medida os problemas de segurança para aterragem e descolagem de aviões. Ela promove o aproveitamento das potencialidades turísticas do Príncipe, amplamente internacionalizadas, desde que a UNESCO conferiu a região o estatuto de reserva mundial da biosfera», afirma.

Com cerca de 6 mil habitantes a ilha do Príncipe recebeu nos últimos anos um investimento de cerca de 120 milhões de euros. Só a renovação e a extensão da pista do aeroporto custou 16 milhões. Iniciativas de investidores estrangeiros, que reconheceram na região potencialidades únicas, sobretudo na área do turismo. Agora com uma pista nova e maior, Príncipe pode acolher aviões de médio porte de até 50 lugares. Algo inédito em 40 anos de independência e 20 de autonomia.

Brany Cunha Lisboa

RM:RTPA/TN

Foto:Facebook

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »