O Facebook faz hoje 10 anos! Saiba como tudo começou

Fev 4 • Home menu, Mundo, Sociedade • 679 Views • Sem comentários em O Facebook faz hoje 10 anos! Saiba como tudo começou

A rede social mais popular do Mundo nasceu em 2004!

“É possível conhecer melhor alguém pelo Facebook do que em dez anos de amizade com essa mesma pessoa.” [David Kirkpatrick]
O Facebook foi criado a 4 de Fevereiro de 2004 por Mark Zuckerberg, um estudante universitário de Harvard. Trata-se de uma rede social que trouxe uma nova forma de comunicação, pondo as pessoas em contacto umas com as outras, por vezes sem intenção das mesmas, permitindo-lhes partilhar experiências, interesses, problemas ou causas comuns.
Actualmente, e desde há algum tempo, que o Facebook é a rede social mais utilizada em todo o mundo, tendo já mais de 1,23 mil milhões de utilizadores activos mensalmente (Dez’13).

Hoje, o Facebook faz 10 anos de existência, e vamos aqui deixar algumas curiosidades relativamente ao nascimento e percurso desta tão popular rede social!
O Facebook é, actualmente a rede social mais utilizada em todo o Mundo, e praticamente todos nós temos hoje uma conta nesta rede social e/ou até uma página para promover a nossa empresa.
Vamos conhecer um pouco da história do Facebook

Como tudo começou….

O Facebook foi criado por Mark Zuckerberg, aluno da Universidade de Harvard, mas não começou por ter este nome nem por ser a rede social como hoje é conhecida. Mark Zuckerberg criou em 2003, no seu quarto de estudante, um software designado CourseMatch que tinha como objectivo ajudar os estudantes de Harvard a escolher que aulas queriam frequentar com base nas pessoas que se haviam nela inscrito. Foram muitos os estudantes que aderiram a este serviço e, segundo o próprio Zuckerberg, demonstrava que nos “podíamos relacionar através das coisas”.

Depois deste primeiro projecto Zuckerberg criou o Facemash, onde os alunos votavam em colegas que gostassem mais por forma a descobrir qual era a pessoa mais sexy do campus. Este programa foi surpreendentemente bem sucedido em Harvard e os alunos não conseguiam deixar de o usar apesar de várias críticas e chamadas de atenção do Conselho Administrativo de Disciplina de Harvard.

O TheFacebook.com

Zuckerberg continuou a criar vários pequenos programas do género e a 11 de Janeiro de 2004 pagou 34 dólares para registar o endereço electrónico Thefacebook.com que integrava as funcionalidades do CourseMatch, Facemash e Friendster. O objectivo central desta rede era a de serem os próprios estudantes a colocarem as suas informações online e não só a Universidade. Zuckerberg explica a rede como uma maneira de ajudar as pessoas a partilharem mais em Harvard, para que pudessem ver mais do que estava a acontecer na universidade. Após a divulgação do Thefacebook.com mais de 900 estudantes de Harvard fizeram o seu registo, sendo esse o tema principal nas cantinas e nos intervalos das aulas. As pessoas não conseguiam parar de usar, revelou Zuckerberg.
O Thefacebook segundo indica Kirkpatrick (2010) cativou por se apresentar como uma rede extremamente simples onde para se inscrever o utilizador criava um perfil com a sua imagem, adicionava alguma informação pessoal, podia referir a sua situação amorosa, podia incluir o ser número de telefone, contacto de chat e endereço de e-mail. Os alunos podiam igualmente colocar as disciplinas que frequentavam, os livros que liam, os filmes que gostavam, as músicas preferidas, os clubes a que pertenciam, a filiação política e uma citação favorita.
Ao início apenas pessoas de Harvard poderiam registar-se, mas rapidamente a rede chamou à atenção dos mercados, o que alargou a utilização a outras Universidades.

Finalmente… o Facebook!

Com o objectivo de crescer e desenvolver ainda mais a rede social, Zuckerberg mudou-se com os seus colegas de trabalho para os escritórios em Palo Alto, na Califórnia e criou a empresa com o nome Facebook a 20 de Setembro de 2005, altura em que já 85% dos estudantes norte-americanos eram utilizadores e 60% acedia ao site diariamente. A afixação de fotografias era uma das actividades mais realizadas na rede social e em finais de 2009, o Facebook albergava já 30 milhões de fotos, tornando-se o maior site de fotografias do mundo.
Um dos problemas que se destaca nessa altura é a questão de privacidade e muitos jovens estavam preocupados com os conteúdos que partilhavam na sua rede. Kirkpatrick refere que se torna possível conhecer melhor alguém pelo Facebook do que em dez anos de amizade com essa mesma pessoa.
Em Agosto de 2006 o Facebook torna-se a plataforma que actualmente se conhece apesar de ter sofrido, posteriormente, algumas alterações. A rede social começou também a integrar várias empresas que, através de publicidade e marketing, promovem os seus produtos entre os utilizadores. A rede social crescia a olhos vistos e esse crescimento foi contínuo, superando as demais redes. ‘Facebook’ tornou-se o termo mais pesquisado na Internet ultrapassando a palavra sexo.
Número de utilizadores ao longo dos tempos

2004 – 1 milhão
2005 – 6 milhões
2006 – 12 milhôes
2007 – 58 milhões
2008 – 145 milhões
2009 – 360 milhões
2010 – 608 milhões
2011 – 850 milhões
Março 2012 – 955 milhões
Outubro de 2012 – Mil milhões
Dezembro de 2013- 1.23 mil milhões

O Impacto do Facebook

Outra área em que o Facebook teve forte impacto foi ao nível das organizações, das instituições e dos governos. Mark Zuckerberg, considera que a rede social criou mais transparência à economia de doação, isto é, “…o Facebook está a mudar a forma como os governos trabalham… e um mundo mais transparente gera um mundo mais bem governado e mais justo” (Kirkpatrick, 2010). O Facebook permite aos utilizadores a criação de grupos de causas e adicionar amigos com as mesmas perspectivas e ideologias. Desta forma vários protestos, manifestações, eventos, mudanças de lei, entre outras situações, ocorreram e foram possíveis devido à magnitude do Facebook uma vez que permite que a vários grupos possam aderir milhares de pessoas, que partilhem ideias e sugestões e determinem uma mudança. Exemplos o protesto do Egipto, país onde o protesto público pode levar à tortura e prisão e a luta contra a limitação de largura de banda da Internet que resultou da criação de um grupo no Facebook.
Na perspectiva de Kirkpatrick, ao criar o Facebook, Mark Zuckerberg queria dar poder ao indivíduo, para que ele pudesse ter ferramentas que lhe permitissem comunicar de forma mais eficiente e ter sucesso num mundo onde, cada vez mais, a informação está em todo o lado, independentemente do que façamos.

Eventos desenvolvidos no Facebook que ficaram na história

Batalha de Almofadas – Mais de 1000 membros em 2008
Protesto no Egipto – Mais de 60 mil membros em 2011
Geração à Rasca – Mais de 20 mil membros em 2011
Kony 2012 – 26 milhões de visualizações em 2012
Filho chamar-se Songoku – mais de 134 mil likes em 2011

Criado por Marisa Pinto em 4 de Fevereiro de 2014/pplware.sapo.pt

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »