ADI diz que adiar as eleições autárquicas e regional é uma atitude que põe em risco a democracia em São Tomé e Príncipe

Mai 24 • Política, STP • 989 Views • Sem comentários em ADI diz que adiar as eleições autárquicas e regional é uma atitude que põe em risco a democracia em São Tomé e Príncipe

Em reação à conclusão do conselho de estado da última quinta-feira em que ficou decidido o adiamento das eleições autárquicas e regional inicialmente marcadas para Julho de acordo com a lei eleitoral vigente, Patrice Trovoada e o ADI se posicionaram contra.

O lider da oposição diz que, o que estamos a assistir é escandaloso.

“O conselho de estado, está hoje composto na sua maioria por aqueles que foram os protagonistas da crise, por isso, eles não têm nenhum interesse nas eleições. Estas eleições iriam dar uma indicação clara de rejeição desse regime pelas populações, daí que o presidente Pinto da Costa não esteja interessado em eleições tão já. Estamos de facto perante mais uma atitude que põe em causa a democracia em São Tomé e Príncipe”, Pontou.

Relembre-se que o ADI acusa publicamente o governo de Gabriel Costa no poder, de ser um governo de iniciativa presidencial, ou seja com total apoio do presidente Pinto da Costa.

Por seu torno, o PCD que também integra o governo sai em apoio à decisão do conselho de estado. Pela voz de Arzemiro dos Prazeres o partido reforça o adiamento das eleições.

“Se se chegou a conclusão que não há condições de se fazer as eleições, e de maneira que não haja mais tarde no processo pós eleitoral reclamações, nós continuamos a afirmar que é melhor que elas sejam adiadas para que se construa todo um processo, digamos mais claro, para que depois as eleições se passem com toda a normalidade”, frisou.

As eleições autárquicas e regional, foram adiadas sine die por falta de condições técnicas e financeiras para a sua realização no mês de Julho próximo como manda a lei eleitoral do país.

De acordo com declarações do líder da comissão eleitoral nacional Victor Correia já publicadas, só em termos financeiros serão precisos mais de 570 mil euros para a realização das eleições.

Brany Cunha Lisboa

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »