Atualidade são-tomense

Mai 13 • Política, Sociedade, STP • 891 Views • 2 comentários em Atualidade são-tomense

-Secretário de Estado da Comunicação social Adelino Lucas quer a revisão do acordo que promoveu a emissão da RTP e da RDP África em sinal aberto em São Tomé e Príncipe;Optimized-adelino-lucas-certo-595x339

Numa entrevista concedida à rádio nacional do país, o Secretário de Estado reconheceu a necessidade desta revisão, já que considera que sobretudo a RDP África “tem denegrido a imagem do Estado”.

Instigado pelo entrevistador da estação primeira, que também corroborou a justificação de Adelino Lucas dando exemplos que, segundo este foram constatados no terreno, ou seja, dizendo que ” a informação RDP África para São Tomé e Príncipe está a mercê de um trio que controla a situação e que se fosse em Angola isto não aconteceria”, o Secretário de Estado garantiu que vai fazer contactos para rever o atual acordo.

Não é a primeira vez que a RDP África  e os seus jornalistas para São Tomé e Príncipe, são colocados em xeque. Durante a recente conferência Diálogo Nacional, o próprio Presidente da República Pinto da Costa sem referir o nome da estação, mostrou o seu desagrado para com a maneira como são tratadas matérias jornalísticas relacionadas com o país na rádio lusa para a África lusófona.

Abertura do ano judicial marcada por duras críticas do presidente do supremo tribunal de justiça ao governo.Optimized-Bandeira x Costa

O presidente do Supremo Tribunal de Justiça José Bandeira atacou primeiro o governo devido os fundos da venda  de mais de 8 mil toneladas de crude do navio “MT Duzgit Integrity”.Ao que a lei indica os tribunais teriam direito a 10% do valor total mas esse depósito nunca foi feito pelo o governo.

“Não é de se entender, por que razão não se depositou até ao presente momento os 10% do valor obtido da venda dos produtos encontrados nos famosos barcos apreendidos com todos os recheios nas águas territoriais e que foram declarados perdidos a favor do Estado da República Democrática de São Tomé e Príncipe, por Tribunais Judiciais São-tomenses, nos cofres dos Tribunais, tal como preceituado no artigo 155 do referido código”, afirmou José Bandeira.

O presidente do Supremo queixou-se de ter os cofres dos tribunais vazios por culpa do executivo. Por outro lado, mostrou ainda preocupação pelo o que chama de uma tentativa de encaminhar o país para a “ditadura”.

“A separação de poderes e o respeito pelas leis constituem a base da democracia. E onde ela não existe poderá ocorrer mais tarde ou mais cedo a tirania, a ditadura e a asfixia de uns poderes sobre outros. É preciso ter-se em atenção que uma eventual tentativa de intromissão ou de  invasão de competências alheas por parte do poder executivo ou outro nas esferas do poder judicial como se pretendeu na proposta de lei para a criação do conselho nacional de justiça, avançada pelo próprio governo em 2013 e que  ainda se pretende, poderão inverter os valores  que devem ser sempre defendidos num estado de direito democrático”, pontuou.

Afirmações e acusações contundentes que marcaram o início de mais um ano judicial em São Tomé e Príncipe.

Brany Cunha Lisboa

fotos: Reporterstp.info,Telanon.info, Google

 

Artigo relacionado

2 Responses to Atualidade são-tomense

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »