Governo promete energias alternativas

Abr 11 • Política, STP • 738 Views • Sem comentários em Governo promete energias alternativas

É mais uma promessa do governo são-tomense, para solucionar a crónica crise energética, que tem assolado o país ao longo dos anos.O primeiro-ministro Gabriel Costa, garantiu que contactos estão a ser feitos para aquisição de energias alternativas, que poderão disponibilizar ao arquipélago, mais 15 Megawatts de energia.

O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro durante uma visita esta semana à EMAE, Empresa de Água e Eletricidade.

Gabriel Costa, mostrou-se preocupado com o aumento galopante dos apagões no país, mas avisa que o problema só poderá ser resolvido com aquisição de mão-de-obra externa.

“Temos contactos encetados para que um técnico da Doitch alemã, possa vir com peças, porque a avaria que foi detetada ultrapassa as capacidades técnicas locais”, afirmou o primeiro-ministro Gabriel Costa.

Os grupos geradores da central térmica da capital, são antigos, alguns já levam mais de 20 anos de funcionamento e estão constantemente com problemas. Facto que tem mergulhado o país em longos anos de escuridão, ou para ser mais concreto, em 38 anos de fornecimento intermitente de energia.

Ao longo dos anos, várias foram as promessas dos sucessivos governos, no sentido de se ultrapassar a crónica crise energética das ilhas. Construiu-se a central térmica de Santo Amaro com capacidade para 8,5 Megawatts e a privada de Bobô-forro pronta para produzir 3,5 Megawatts, mas ainda assim a demanda continua.

Vários projetos de barragens e mini-hídricas, já foram publicamente apresentados e até assinados por anteriores executivos, mas o problema da falta de energia persiste.

Houve desta-feita, uma nova promessa. Gabriel Costa garantiu que “nós temos propostas relativas a energias alternativas que poderão produzir até 15 Megawatts”.

Promessas e mais promessas para um povo já de si fustigado pela falta consecutiva de luz elétrica, nas suas casas, empresas e serviços.

Um problema que tem bloqueado o desenvolvimento de São Tomé e Príncipe, ao mesmo tempo que tem contrastado com a abundância de chuva e água para as barragens e sol e vento para as energias renováveis do século XXI.

Brany Cunha Lisboa

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »