Há mais 110 mil euros para a realização das eleições

Set 17 • Política, STP • 916 Views • Sem comentários em Há mais 110 mil euros para a realização das eleições

O governo são-tomense formalizou esta quarta-feira, a receção de 110 mil de euros da União Europeia para a realização das eleições. O financiamento surge na sequência do apelo das autoridades nacionais, que reclamavam há duas semanas que há pouco menos de 1 mês para às eleições, só tinham cerca 60% da verba necessária para os escrutínios.

A boa nova foi anunciada pela ministra dos negócios estrangeiros Natália Umbelina, que foi a signatária da parte são-tomense na assinatura do acordo de financiamento com a União Europeia. O governo já tem disponível o montante necessário para realização das eleições autárquicas, legislativas e regional de 12 de outubro.

“Nós temos um montante completo para que as eleições tenham lugar em boas condições, achamos que era importante informar a nossa população que as eleições vão ter lugar em melhores condições e que neste momento temos o montante suficiente para colmatar as necessidades que se faziam sentir”, garantiu a ministra dos negócios estrangeiros Natália Umbelina.

Agora que estão reunidas as condições técnicas e financeiras para a realização dos pleitos, já só falta que chegue mesmo o “dia D”.

Os lugares nos boletins de votos já foram sorteados e os cerca de 12 partidos envolvidos na disputa já começaram a afinar as suas máquinas de campanha. O país está ao rubro neste período que é considerado de alto risco, já que é nas campanhas que todos e cada um traz ao de cima o seu potencial, seja ele material, financeiro ou de simples retórica.

Por tudo isto e por considerar de crítico os dias vividos pelo país, o governo decidiu adiar o início das aulas marcado para última segunda-feira, para só depois das eleições. Justifica ainda a sua decisão, ao revelar o envolvimento da estrutura educativa no seio do embate eleitoral, com alguns professores a testa das campanhas e dos partidos concorrentes.

Por estes dias em São Tomé e Príncipe, tudo se fará pelo voto, nem que isso signifique o recurso ao “Banho”, ou a compra de consciência. A este propósito a nova lei eleitoral deverá ser testada nestas eleições já que esta repreende severamente os que forem apanhados no ato de compra de consciência.

Brany Cunha Lisboa

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »