Ministro das finanças são-tomense nega acusação de ter lesado o estado

Jan 15 • Política, STP • 870 Views • Sem comentários em Ministro das finanças são-tomense nega acusação de ter lesado o estado

Hélio Almeida nega a acusação veiculada pelo ADI na oposição através do seu site de propaganda, que dá conta que este lesou o estado são-tomense em cerca de 300 mil euros, decorrentes de um alegado negócio sigilo entre o governo e a CST, Companhia São-tomense de Telecomunicações. Por outro lado, o ministro acusa o meio de comunicação social que fez eco a notícia de falta de ética profissional e jornalística.

A RDP África é o meio de comunicação social colocado em xeque pelo ministro das finanças são-tomense. Hélio Almeida acusa a estação de falta de ética profissional e jornalística por ter divulgado uma acusação avançada em primeira instância por um site de propagada do ADI na oposição.

Todavia, o governante refuta as acusações de que é alvo e que dá conta de este ter lesado o estado em cerca de 300 mil euros.

“Rejeito de forma categórica todas as acusações e desafio qualquer um a apresentar provas em contrário. O acordo de reconhecimento mutuo de créditos foi assinado com o devido enquadramento legal e surge no âmbito de avultadas dividas de telecomunicações contraídas pelo anterior governo em torno de 1 milhão e 700 mil dólares que infelizmente teve ser pagas pelo erário público”, afirmou

Hélio Almeida explicou também a cláusula de confidencialidade existente no alegado acordo de compensação de crédito entre o governo e a CST.

“A mesma decorre do contrato referentes aos serviços de valor acrescentado sobejamente conhecido e consentido pelos sucessivos governos, até a sua cessação por iniciativa do atual governo em 31 de Dezembro de 2013”, explicou

Em declarações prestadas à televisão estatal TVS, Almeida garantiu ainda que o relatório de auditoria da CST que é referido na denúncia do ADI como tendo sido refutado pelo governo está corrompido. Explicou o ministro que os resultados do dito relatório estão diretamente ligado à dispensa do antigo diretor dos serviços de inspeção geral das finanças.

É a segunda acusação grave em pouco tempo, veiculada pelo site de propaganda do ADI na oposição. A primeira denunciou um escândalo financeiro envolvendo o ministro da saúde Leonel Pontes e provocou dias depois a sua demissão do governo.

Brany Cunha Lisboa.

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »