Motivações financeiras na base do rompimento STP e Taiwan

Dez 21 • Política, STP • 316 Views • Sem comentários em Motivações financeiras na base do rompimento STP e Taiwan

“Exigências para além daquelas que Taiwan poderia atender”, foram apontadas pelo próprio Ministério dos Negócios Estrangeiros da ilha formosa como sendo uma das possíveis causas do rompimento. Taiwan “lamentou a posição assumida pelo governo são-tomense”, que pôs termo a uma relação bilateral de quase 20 anos. A China Popular por sua vez,  já “aplaudiu” a decisão do executivo são-tomense.

Em comunicado citado pelo português Correio da Manhã, veio expresso o agradecimento da China Popular pelo reconhecimento são-tomense da “existência de uma só China”.

O país de língua portuguesa, liderado por Patrice Trovoada, decidiu tornar público o corte oficial das relações bilaterais com Taiwan iniciadas em 1997. Para o primeiro-ministro do arquipélago africano “a decisão foi a mais acertada”.

Trovoada garantiu que ” a nossa visão de desenvolvimento passa pela abertura e cooperação com todos, passa pelo posicionamento de São Tomé e Príncipe. Nós temos a nossa agenda, temos os nossos interesses, nós temos a nossa programação e temos o compromisso com o povo de melhorar as suas condições de vida”. “No que diz respeito a Taiwan, decidimos o princípio de aderir a uma só China e ao aderir implica o corte das relações com Taiwan. O cenário internacional, há 20 anos, não é o mesmo de hoje”, disse Patrice Trovoada, em conferência de imprensa.

Em resposta, o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Taiwan, “lamentou” a posição assumida pelo governo das ilhas do equador e assegurou mesmo que a rotura pode ter que ver com as remeças de verbas de Taiwan para São Tomé e Príncipe, já que lê-se no comunicado “o governo de São Tomé e Príncipe, no entanto, com dificuldades financeiras excessivas, e exigências para além daquelas que a República da China – Taiwan, poderia atender, ignorou 20 anos de relações diplomáticas amigáveis”.

Enquanto durou as relações entre os dois países, as ilhas são-tomenses terão recebido um apoio financeiro de mais de 250 milhões de dólares. Inúmeras foram as intervenções taiwanesas em diversos setores de atividade do país, tanto por meio de financiamento dos projetos como por empréstimos de técnicos e de “know how” para a concretização dos mesmos. Neste quadro destaca-se a luta contra o paludismo. Com o apoio de Taiwan o arquipélago conseguiu reduzir a incidência da doença, que era até bem pouco tempo a principal causa de mortes no país, de 50% em 2013 para apenas 1,01% em 2015.

As relações bilaterais entre São Tomé e Príncipe e a República da China Taiwan começaram em Maio de 1997, impulsionadas pelo então Presidente da República e pai do atual primeiro-ministro Miguel Trovoada. Quis agora o destino que Patrice Trovoada, o filho e atual rosto do país, alterasse o rumo das coisas e retomasse a história de cooperação bilateral com a China Popular em nome dos interesses do povo são-tomense.

A ver vamos se foi como disse “a decisão mais acertada”.

Texto: Brany Cunha Lisboa

RM: Telanon, Lusa e Correio da manhã

Imagem: google

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »