Presidenciais sufoca às comemorações da independência em STP

Jul 12 • Política, Sociedade, STP • 840 Views • Sem comentários em Presidenciais sufoca às comemorações da independência em STP

A campanha para a escolha do novo Presidente são-tomense está a retirar o peso das comemorações do dia da independência que se assinala neste 12 de julho. O país está mergulhado no alvoroço causado pelos discursos, mais ou menos inflamados dos candidatos, na corrida e pouco se lembra que se compre hoje os 41 anos de independência.

Apesar de as zero horas, a marcha da chama da pátria levar dezenas de são-tomenses da roça histórica de Batepá até a praça da independência na capital, este ano, as comemorações dos 41 anos da independência estão mais tímidas.

As comemorações acontecem num momento em que o arquipélago está mergulhado em plena campanha eleitoral. O próprio Chefe de Estado e candidato, Pinto da Costa envolvido na campanha à sua sucessão não participou na iniciativa. O Ato central está marcado para o início desta tarde. Os discursos oficiais que normalmente servem para refletir sobre o estado do país, certamente não fugirão aos temas da campanha, que conta com pelo menos 5 candidatos.

Pinto da Costa, assumi-se como candidato da “estabilidade”. Em declarações à agência Lusa, retransmitidas pela RDP África, afirma “não ter qualquer problema pessoal com o primeiro-ministro Patrice Trovoada, mas lamenta alguma falta de informação da parte do executivo ao Presidente da República”.

Evaristo de Carvalho, candidato apoiado pelo primeiro-ministro Patrice Trovoada e pelo partido ADI no governo, reclama para si a “estabilidade e consenso do país”. Patrice Trovoada acusa Pinto da Costa de ser “contra a estabilidade propalada e que este percebe pouco de democracia”.

Maria da Neves, candidata apoiada pelo MLSTP/PSD na oposição, diz que chegou a hora de uma mulher comandar os destinos das ilhas e afirma que é ” a candidata da paz, do diálogo, da estabilidade e da reconciliação nacional”.

A estabilidade é o denominador comum entre os candidatos dados como principais concorrentes ao cargo de Chefe de Estado.

É preciso realçar que Hélder Barros e Manuel do Rosário também estão na corrida presidencial, embora com uma menor ou ofuscada expressão.

O novo Presidente da República são-tomense conhece-se a 17 de julho. Os observadores internacionais que deverão garantir uma eleição justa e livre do “banho”, ou seja a compra de consciência, já começaram a chegar à São Tomé e Príncipe. A comitiva é liderada pelo antigo Presidente moçambicano Armando Guebuza.

Brany Cunha Lisboa

foto: Google

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »