Agricultores de Monte Café em braço de ferro com o governo

Abr 15 • Sociedade, STP • 982 Views • Sem comentários em Agricultores de Monte Café em braço de ferro com o governo

Os agricultores reclamam direitos sobre terras abandonadas na roça Monte Café. O  governo diz que não vai permitir ocupação arbitraria das roças do estado, porque este tem planos para os terrenos avaliados em cerca de 200 hectares.

A contenda já dura há pelo menos 2 semanas. Já rendeu a prisão e seguida soltura de pelo menos 2 agricultores, e uma manifestação de cerca de 2 dezenas de agricultores da roça Monte Café à porta do ministério público são-tomense.

O estado acusa os agricultores de usurpar terrenos do estado em proveito próprio. Os agricultores por sua vez garantem que os campos de café estão abandonados, o que coloca em risco plantações vizinhas.

“Como pode ver aqui esse café abandonado já tem broca,…e essa broca vai afetar as nossas áreas do café biológico, e se afetar lá já não teremos essa boa qualidade de café”, afirmou o ex-capataz Edjelk Alamu.

Alamu, explicou ainda outra razão para que os agricultores estejam a reclamar direitos sobre as terras abandonadas.

“Tendo em conta que estamos na fase da primeira colheita do café, e com o desemprego que há na empresa, decidimos entrar nas terras abandonadas, de modo não invasor, para poder ganhar um pão de cada dia”, assegurou.

O governo não aceita o argumento dos agricultores de Monte Café e através da direção da agricultura já veio ao público dizer que “ o estado tem planos para aqueles terrenos e não vai permitir a usurpação dos mesmos pelos agricultores. Pelo que exorta as entidades competentes a assumirem as suas responsabilidades”, pontuou.

O terreno em contenda está avaliado em cerca de 200 hectares. Foi concessionado há dois anos pelo Estado são-tomense ao antigo governo Líbio liderado pelo presidente Kadafi. Entretanto a empresa líbia que devia explorar o café no referido terreno abandonou o negócio deixando que o matagal se apropriasse do lugar.

Brany Cunha Lisboa com RTP e RDP África

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »