Agricultores são-tomenses vão aproveitar lixo orgânico

Set 9 • Sociedade, STP • 2323 Views • Sem comentários em Agricultores são-tomenses vão aproveitar lixo orgânico

O Centro de Tratamento de Lixo do arquipélago, vai fornecer lixo orgânico para utilização na agricultura.

A recolha já começou, sobretudo nas zonas urbanas. O projeto de gestão de resíduos já se encontra na sua segunda fase que tem o financiamento da União Europeia em cerca de 600 mil euros.

A transformação do lixo em obra de arte é uma das vertentes deste projeto do centro de tratamento de resíduo de São Tomé e Príncipe.

“Por ventura uma caixa de leite líquido, pode ser transformada em várias coisas, podemos fazer sacolas, bolsas entre outras”, garantiu o professor Abdul Sousa.

Os professores do primeiro e segundo ciclo do ensino básico, bem como os líderes comunitários foram envolvidos na estratégia, mas é nos agricultores que o centro de tratamento de resíduos quer incidir esta segunda fase do projeto.

Com capacidade para transformar 90 toneladas de resíduos por ano, o centro promete transformar o lixo orgânico que já está a ser recolhido nos centros urbanos, em fertilizantes e insumos para serem usados na agricultura.

“Daqui há mais um mês, já teremos composto, onde se poderá fazer a primeira experiência junto aos agricultores para que eles possam aplicar nas suas culturas”, explicou o coordenador do projeto Wilder Trovoada.

O país pode assim poupar na importação de fertilizantes e insumos para agricultura, através do aproveitamento de cerca de 50% de pouco menos de 40 toneladas de lixo que é produzido anualmente no arquipélago.

“O problema que se nos colocam hoje em dia, transcendem muito a escala humana, mas obviamente que a solução desses problemas tem uma dimensão individual, cada um de nós tem o seu papel a desempenhar nesta luta pela sustentabilidade e pela reutilização” afirmou o adido para a cooperação da embaixada de Portugal em STP Nuno Vaz.

Instituto Camões, Uccla e a Autarquia de Água Grande são outros co-financiadores deste projeto que promete proteger o meio ambiente e imprimir nas ilhas, uma cultura de reciclagem e transformação de lixo para um desenvolvimento mais sustentável.

Brany Cunha Lisboa

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »