Ong portuguesa transforma lixo em negócio

Nov 21 • Sociedade • 1351 Views • Sem comentários em Ong portuguesa transforma lixo em negócio

A recolha de resíduos pode vir a ser uma importante fonte de renda para São Tomé e Príncipe.

A iniciativa é da ONG portuguesa Tese, que está a estimular as comunidades a recolher, separar e vender o lixo produzido.

São Tomé e Príncipe produz cerca de 62 mil quilos de lixo diariamente.

É uma iniciativa que alia a economia à saúde e bem-estar. A ONG portuguesa Tese destaca a recolha de resíduos como pilhas e baterias usadas que entre outras coisas, podem libertar substâncias cancerígenas.

“Deixam a pilha ai abandonada dentro de um saco plástico na sua casa, ela começa a escorrer um líquido que contém metais pesados, esses metais com a chuva escorrem para o mar, o peixe por sua vez consome esse líquido, o mercúrio por exemplo que é um componente da pilha que causa cancro”, explicou Maité Mendizibal ONG Tese

Tese já fez os estudos e concluiu que os resíduos recolhidos, podem vir a ser uma importante fonte de renda para o país. Por isso, está a incentivar os moradores das 55 comunidades dos 5 distritos do arquipélago a recolher, separar e vender o lixo.

“Cada comunidade vai ter a sua unidade de compostagem que é uma coisa simples e depois vamos ter uma unidade de venda para que os hotéis, as empresas e os jardins que quiserem possam obter o produto acabado”, concluiu.

Num país em que as camaras distritais debatem-se com sérias dificuldades para a recolha e tratamento do lixo, este projeto pode também significar uma importante ajuda. Uma ajuda que se estende aos mais pobres que poderão também tirar alguns dividendos, já que são as populações dominantes das comunidades.

São Tomé e Príncipe juntas produzem cerca de 62 mil quilos de lixo.

Brany Cunha Lisboa

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »