São Tomé e Príncipe na vanguarda dos sistemas de assinalamentos marítimos

Jun 6 • Sociedade, STP • 1930 Views • Sem comentários em São Tomé e Príncipe na vanguarda dos sistemas de assinalamentos marítimos

Estão a ser instalados em São Tomé e Príncipe o melhor sistema de assinalamentos marítimos de África.

O projeto que inclui 17 faróis entre as duas ilhas, é fruto da cooperação técnico-militar com Potugal, que visa entre outras coisas, a formação de faroleiros são-tomenses.

 

As lâmpadas e equipamentos que estão a ser instalados pelos militares portugueses nos faróis são-tomenses são dos mais modernos que há.

“Conseguimos, Portugal e São Tomé e Príncipe em conjunto, criar no país um sistema de assinalamentos marítimos, portanto os faróis, que é só o melhor de África neste momento”, assegurou o diretor de faróis da marinha portuguesa, comandante Goveia e Melo.

País de tradição pescatória, é comum em São Tomé e Príncipe haver acidentes em alto mar ou até mesmo a poucas milhas da costa, que culminam muitas vezes, em mortes e perdas materiais. O arquipélago tem vindo ao longo dos tempos a mudar essa história, através de investimentos visíveis  nas próprias embarcações de pescas, em muitas hoje já se encontram sistemas de comunicações como o GPS, mas também através de melhoramento dos trabalhos da guarda costeira e dos faróis que agora são também de maior alcance.

“Com uma nova tecnologia que apareceu no mercado, que são os leds, conseguimos aumentar 4 vezes mais a potência e o alcance do faról, diminuido em metade o consumo de energia. E para além disso, ganhamos fiabilidade, o que significa que o faról terá menos avarias por um período mais longo do tempo”explicou o comandante Goveia e Melo.

E para garantir a manutenção periódica feita pelos próprios são-tomenses, os militares portugueses que têm de se deslocar anualmente para as ilhas no quadro da cooperação técnico-militar estão a formar futuros faroleiros.

“É previsível que num futuro de médio prazo, São Tomé e Príncipe tenha a capacidade total de manter os seus faróis e depois fazer a sua evolução natural como qualquer país” conclui.

Entre as duas ilhas existem 17 faróis que, com o apoio da cooperação técnico-militar com Portugal colocam o arquipélago são-tomense na vanguarda dos sistemas de assinalamentos marítimos de África.

Brany Cunha Lisboa

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »