O primeiro-ministro são-tomense pede bom senso aos professores

Out 10 • Educação, STP • 615 Views • Sem comentários em O primeiro-ministro são-tomense pede bom senso aos professores

Entrou no sexto dia, a greve dos professores em São Tomé e Príncipe. A classe docente não desarma na defesa dos seus interesses e o governo já afirmou que não pode ir além das suas capacidades.

O primeiro-ministro pediu bom senso aos professores.

De partida para uma viagem oficial ao Congo, Gabriel Costa afirmou que o governo está a trabalhar para resolver a medida do possível a problemática dos professores e educadores do país.

O chefe do governo pediu bom senso por parte dos docentes e avisou que o Estado não pode ir para além do limite das finanças públicas.

“Cremos que os professores, os pais e alunos se aperceberam disso. Estamos abertos as negociações, mas só podemos fazer aquilo que as finanças do Estado permitem, não podemos ir para além do que as finanças permitem”, garantiu.

Relembre-se que o governo já prometeu aumentar em cerca de 10% o salário base dos professores. Promessa, entretanto negada pelos docentes, que exigem um aumento de 25%.

Os professores querem ver implementado ainda neste ano letivo, o estatuto de carreira, que garantem, será um importante incentivo ao melhoramento do ensino no país.

O governo garantiu que já orçamentou cerca de 10 mil milhões de Dobras para o efeito, mas que ainda assim é insuficiente.

Acusações de parte à parte têm marcado as negociações que não demonstram fim a vista. Enquanto isto, cerca de 80 mil alunos do ensino básico ao secundário, aguardam em casa pelo reinicio das aulas.

Brany Cunha Lisboa

Artigo relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

« »